Eu e o futebol

Por Kaline Rodrigues

25/03/2014
Futebol é buscar um objetivo e aprender com os tropeços.

Desde cedo gostei de futebol. O fato dos meus dois irmãos e meu pai gostarem muito do esporte pode ter influenciado. A verdade é que há um bom tempo posso dizer que sou apaixonada por futebol.

 

Lembro de brincar com a bola nos pés ainda bem criança com um dos meus irmãos na garagem ou na rua com outras crianças: dentro da casa mesmo não podia porque os pais não deixavam. Quantas vezes não machuquei o pé nas quinas e nas pedras da rua? Quando não tinha bola, jogávamos com um amontoado de meias, garrafinhas de refrigerante vazias ou tampas (ou qualquer coisa que lembrava o movimento de uma bola após um chute).

 

Futebol eu jogava perto de casa, assistia assiduamente pela TV e jogava nos videogames. O futebol me ensinou mais do que a Geografia sobre em qual continente os países se situam e quais são suas bandeiras, com certeza.

 

Com o passar dos anos meu pai passou a me levar para o estádio para ver as partidas do time para qual torcemos, o que fazemos até hoje - virou hábito ir aos jogos.

 

Nenhuma das escolas que frequentei oferecia futebol ou até mesmo futsal para meninas e, apesar de questionar inúmeras vezes, nunca me disseram porquê. Procurei no handball, no vôlei e no tênis alternativas para a prática de esportes e agradeço demais as experiências que cada um desses esportes me proporcionou, mas sempre senti um vazio por não poder praticar o esporte que mais amo. As únicas oportunidades para o futsal feminino eram nos jogos interclasses, nos quais senti na pele o preconceito apenas por ser menina e saber jogar futebol: "ela joga como um menino!", alguns (inclusive professores) diziam, como se não fosse possível ou respeitável uma menina aprender a jogar bola com os pés.

 

Nunca me acostumei a perceber tanto a admiração no olhar de algumas pessoas quanto o desdém em outras depois de falar que pratico futebol e futsal. O estranhamento dos vendedores e dos clientes quando compro uma chuteira ou quando dou um "palpite" do que o time deve fazer em campo. "Você entende!".

 

Das lembranças mais agradáveis que terei da UFRN, dentre elas é ter participado da equipe de futsal e de futebol, finalmente. Agradeço ao programa UFRN na Copa por isso.

 

O futebol pra mim não é apenas um hobbie. Futebol é atividade física, emoção, respeito, oportunidade, trabalhar em grupo, buscar um objetivo e aprender com os tropeços. E eu amo esse jogo.


Kaline Rodrigues
Aluna de Publicidade & Propaganda da UFRN e apaixonada por futebol