Zila Mamede

Por Karina Carneiro

20/05/2014
Zila Mamede

Nascida na cidade de Nova Palmeira no estado da Paraíba, em setembro de 1928, passou parte de sua infância em Currais Novos, mudando-se para  Natal em sua adolescência, no início da Segunda Guerra Mundial. Zila já tinha uma forte ligação com o Rio Grande do Norte, já que seu pai era de Caicó e seu avô materno do Jardim do Seridó. Passou um tempo morando em João Pessoa e em Recife, voltando à Natal com maior interesse pela Literatura, influência de seu tio José Jorge de Mendonça, com quem morou nas duas referidas cidades. Cursou Biblioteconomia no Rio de Janeiro e fez especialização nos Estados Unidos. Mesmo antes de sua formação acadêmica, Zila Mamede deu início aos seus primeiros trabalhos de escritora ainda em Natal, aos 21 anos de idade. Poeta e bibliotecária dedicada, lutou pela construção da Biblioteca da UFRN, que hoje leva o seu nome, em uma sua homenagem e pela Biblioteca Câmara Cascudo.  Zila desempenhou papel fundamental na revitalização da poesia em terras potiguares, arte adormecida desde seu precursor Jorge Fernandes. Morreu na Praia do Meio, em Natal, enquanto nadava - atividade que praticava quase todos os dias - no dia 13 de dezembro de 1985.


Obras da autora:

- Poesia: Rosa de Pedra (1953);

- Salinas (1958); O Arado (1959);

- Exercício da Palavra (1975); Navegos (1978);

- A Herança (1984);

- Exercícios de poesia: textos esparsos (2009/póstuma).